29de Outubro,2020

Geopt.org - Portugal Geocaching and Adventure Portal

Reserva Natural Dunas de S. Jacinto Featured
17 October 2020 Written by 

Reserva Natural Dunas de S. Jacinto

Numa manhã estival de outono rumámos até S. Jacinto à descoberta da reserva natural (GC32XTW), onde há dez séculos apenas existia mar. Outrora, locais como Ovar, Estarreja e Aveiro confrontavam-se diretamente com o Atlântico. Criou-se desde então uma língua de areia, que se consolidou ao longo dos séculos e formou uma ampla baía que antecedeu a laguna contemporânea. O cordão dunar conservou-se por vegetação espontânea e a florestação criada a partir do século XIX, quando decorreu também a abertura artificial do canal da Barra, que permitiu o regresso da água salgada à zona, adocicada por várias ribeiras e rios que ali desaguam, entre eles o Vouga. E assim se formou a Ria de Aveiro.

Estacionámos junto ao edifício da reserva, onde ficámos a conhecer mais pormenores sobre a história da mesma. Percebemos também que existem dois percursos circulares com distâncias distintas. Optámos pelo maior, com cerca de 7.5 km. De passagens anteriores pela zona envolvente havíamos ficado com a ideia que o percurso arenoso serpentearia apenas por vegetação rasteira comum e pinheiros bravos. Estávamos enganados. Ficámos impressionados pela qualidade do percurso e pela diversidade de vegetação, desde estornos, cardo-marítimo, soldanelas, camarinhas, cedros e acácias, como também pela sombra generosa que cobre boa parte do mesmo. Naturalmente, várias razões deveriam existir para a criação da reserva.

A meio do percurso surgiu o passadiço, com cerca de 500 metros, que dá acesso ao mar. Apesar de precisar de manutenção e ainda que a placa não o aconselhe, decidimos ir espreitar o mar. Na verdade, apenas o início do passadiço precisa de manutenção urgente e curiosamente está numa zona em que o mesmo não seria necessário. Chegámos ao final do passadiço e sentámo-nos a apreciar as pitorescas dunas protegidas, na fronteira com o mar. Após a descoberta, voltámos pelo passadiço e prosseguimos o caminho, seguindo em direção ao observatório de aves da pateira, que estava a ser utilizado por um fotógrafo especialista. Demos depois corda às sapatilhas e, sempre envolvidos por sombra e vegetação diversificada, fizemos o percurso de regresso ao edifício da reserva.

Passaram dez anos desde que descobrimos o geocaching. Geralmente descrito como uma “caça ao tesouro moderna”, rapidamente ficámos fascinados pelo contexto de secretismo do passatempo e sobretudo pelo potencial para descobrir novos locais e experiências. Dez anos depois chegámos às 4000 descobertas! No nosso caso, o passatempo acabou por nos aproximar da natureza. É sobretudo uma forma mais interessante, informada e contextualizada para descobrir locais e experiências que de outra forma poderiam não ser tão evidentes ou seriam mesmo desconhecidas. Obrigado pela partilha!

Artigo publicado em cruzilhadas.pt



More in this category: « sunrise@CântaroMagro_20
Login to post comments
Geocaching Authorized Developer

Powered by Geocaching HQ
Geocaching Cache Type Icons © Groundspeak, Inc.
DBA Geocaching HQ.
All rights reserved. Used with permission.

Newsletter