Print this page
Exposição
17 January 2012 Written by  António Almeida

Exposição

No primeiro momento que pensas em pressionar o botão do obturador da máquina fotográfica, a primeira palavra que deverás pensar imediatamente é Exposição.

A exposição é o elemento crítico que definirá o resultado final, é o elemento que determina a quantidade de luz a que o sensor irá receber e como já sabes, esta é controlada por três fatores fundamentais: Abertura; Velocidade Obturador; ISO – é o chamado triângulo da exposição.

A combinação destes três elementos resulta num determinado Valor de Exposição – EV (do inglês Exposer Value). Como facilmente compreendes através da leitura do diagrama anterior, qualquer alteração que faças a uma destas variáveis (Abertura; Velocidade Obturador e ISO) terá impacto na forma como os outros dois elementos irão influenciar na exposição e consequentemente no resultado final.

Vejamos um exemplo

Estás a fotografar uma paisagem e decides aumentar o f-stop (Abertura) para conseguires uma melhor profundidade de campo (DOF). Como sabes f-stop maior significa, menor abertura do diafragma e consequentemente uma menor entrada de luz (vê lá as florinhas bem definidos no diagrama na região correspondente a maior abertura).

Para compensar a menor quantidade de luz provocada pela alteração anterior, reduzes a velocidade de obturação ficando assim o sensor mais tempo exposto. No entanto, como podes constatar no diagrama, velocidades de obturação mais lentas significa maior possibilidade de imagens tremidas (vês os aviões?)

Se tiveres forma de imobilizar, um tripé por exemplo, está o assunto resolvido mas não tens. A solução passa por ter de aumentar a velocidade de obturação de forma a conseguir uma imagem nítida. Recordas-te da convenção – velocidade mínima = 1/distancia focal, ou seja, numa lente de 18 mm, a velocidade mínima poderá ser 1/18 segundos.

Desta forma colocas a velocidade para 1/18s mas reparas que a máquina dá a indicação duma imagem subexposta (escura). A alternativa é mexer no terceiro parâmetro da exposição, o ISO.
Vais aumentando o ISO e observas qual a leitura da máquina à luz até encontrares o ISO ideal. O senão é que uma maior sensibilidade provoca maior ruído.

Fotografas e observa o resultado.
Se gostares, está o assunto encerrado, caso contrário terás de baixar um f-stop na abertura para permitir a entrada de mais luz retomando o ciclo.

Um pequeno resumo destes três fatores

Abertura

As lâminas do diafragma existentes na lente movem-se excentricamente de forma a permitir a passagem de uma maior ou menor quantidade de luz. É expressa em f-stop sendo que um f-stop maior (ex: f/22) corresponde a uma menor abertura e, pelo contrário, um f-stop menor (ex:f/2.8) corresponde a uma maior abertura.

A profundidade de campo (DOF) nitidez da composição desde os planos mais próximos até ao infinito é fortemente afetada pela abertura. Quanto maior for o f-stop (ex: f/22), maior é a profundidade de campo, ou seja, a profundidade de campo é inversamente proporcional à abertura.

Velocidade de Exposição (Shutter Speed)

Este é o tempo que o sensor estará exposto à luz desde que carregas no obturador sendo expresso em segundos. È boa prática não fotografar sem tripé, ou semelhante, com velocidades mais lentas que a distância focal utilizada, ou seja, se estás com a lente numa distância focal de 38 mm, então a velocidade mínima a utilizar sem tripé deverá ser 1/38 s. Quanto mais lenta for a velocidade, sem imobilizador, maior é a probabilidade de obter fotografia tremida. A velocidade pode ser utilizada como fator de dinamismo, por exemplo, fotografar um carrossel numa velocidade lenta, transmite a sensação de movimento. Por outro lado, uma velocidade mais alta permite congelar a correria duma criança a brincar.

ISO

A ISO define a sensibilidade do sensor à luz. ISO baixo corresponde a menor sensibilidade à luz sendo útil para assuntos bastante iluminados. Por outro lado, uma ISO elevada corresponde a uma maior sensibilidade à luz tornando-se o ideal para locais com menor iluminação. Quanto maior for a sensibilidade maior é a quantidade de ruído existente na fotografia. É útil fazer algumas fotografias de teste com diferentes sensibilidades para tomar noção das capacidades do equipamento.



1 comment

Login to post comments