Print this page
Fotografar com iPhone, GPSr e afins - Parte II
24 March 2012 Written by  António Almeida

Fotografar com iPhone, GPSr e afins - Parte II

Na semana passada escrevi a primeira parte dum artigo que demonstra como é possível, como as suas limitações, claro, fazer fotografia com equipamentos móveis bastando apenas seguir alguns princípios bastante simples.

A última, vá, vamos chamar dica, era relativa à luz. Os equipamentos móveis (iPhones, Tablets, GPSr, Telefones celulares) não possuem flash ou se o tiverem é extremamente “rudimentar” e com um alcance extremamente limitado (que ainda assim até pode ser útil).
Assim é mesmo muito importante que verifique se o assunto que queres fotografar está suficientemente iluminado, ou resultará em fotografias sobre-expostas e sem contraste.

Adopta uma posição estratégica de forma a aproveitar a iluminação natural. Por vezes mudares a posição do teu corpo poderá ser o quanto baste para resultar num trabalho completamente diferente.
Nesta segunda parte deste artigo algumas das questões abordadas podem, e devem, perfeitamente ser adotadas na fotografia com equipamentos fotográficos fazem apenas umas pequenas adaptações ou até simplesmente como está apresentado.

Arrisca o olhar

Sendo bípede estás habituado a observar o meio que te rodeia a pouco mais de um metro e meio de altura – o nível dos teus olhos. Quando fotografares se colocares o celular, se colocares o celular ao nível dos teus olhos, aliás uma prática comum com os restantes equipamentos fotográficos, irás fotografar exatamente da mesma forma que naturalmente observas.
Não significa que é mau, nada disso. Conseguem-se muito boas fotografias exatamente com esta postura, mas se mudares a perspetiva o resultado será imediatamente mais apelativo simplesmente porque é uma forma de observar o mundo a que normalmente não estás habituado.

Procura a simplicidade

A par da procura de diferentes perspetivas, deverás tentar fotografar assuntos sobre fundos pouco complexos e “limpos”.
Se esta regra, tal como as restantes aqui apresentadas, pode ser aplicada em qualquer equipamento, na fotografia com celular ganha um peso extraordinário.
A lente do celular não pode fazer milagres e existem diversas limitações. A profundidade de campo poderá ser uma destas limitações, por exemplo.
Fundos pouco complexos destacam o assunto e evitam que tenhas de te preocupar com a sua definição.
Obviamente que deverás observar elementos inestéticos. Fotografares os teus rebentos a brincarem no jardim com um caixote do lixo por trás é foleiro que se farta.

Lembraste dos erros de fotografia?

É isso mesmo... Os erros comuns de fotografia que por aqui já abordei devem todos eles ser observados, afinal de contas estamos a falar de fotografia. Como em tudo da vida, as regras básicas terão de ser sempre observadas. Sexo só com preservativo, seja na cama, no banco de jardim, na maré baixa de Vilamoura ou no WC do comboio.
Observa com atenção a regra dos terços. Estuda a composição para eliminar a linha do horizonte tombada ao lado e verifica se existem elementos inestéticos ou emplastros.
Na fotografia a mais importante regra que não deves esquecer é de não hesitar em quebrar qualquer regras. Esta é a base da criatividade que está muito além do equipamento que dispões. Centrar um corredor desrespeitado a regra dos terços fará a diferença entre uma óptima fotografia ou apenas outra.

Experimenta, utiliza, conhece.

Podes fazer parte do grupo de utilizadores que não está para perder tempo a fazer grandes experiências com a fotografia do celular. Para ti é apontar e… toma…
Aqui é que está a origem dos grandes problemas e vale mesmo a pena contrariar esta postura. Fotografa várias vezes o mesmo assunto. Por vezes o momento capturado naquele milésimo de segundo pode fazer a diferença e consegues um excelente momento.
Quanto mais fotografia fizeres melhor é o teu conhecimento das manhas do equipamento. Esta é uma clara vantagem para ultrapassar, por exemplo, o tempo de espera entre o momento que pressionas para fotografar e quando esta acontece realmente. Antecipara este pequeno tempo de espera pode ser a diferença entre a captura perfeita do sorriso duma criança ou apenas as suas costas.

Notas finais

A completar a primeira parte deste artigo, tens aqui um conjunto de informações que te podem ajudar a conseguir bons trabalhos fotográficos com qualquer tipo de equipamento. Uma questão fundamental é conheceres bem o teu equipamento e experimentares sem limites.
Obviamente que existem limitações mas estas deixarão no futuro de ser a desculpa para não imortalizares aqueles momentos.



6 comments

Login to post comments